19 abril 2012


Resenha: Estilhaça-me


ESTILHACAME_1330724776P
Nome Original: Shatter Me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 304
ISBN: 9788563219909
Comprar: Compare Preços
Skoob: Estilhaça-me
Sinopse: Juliette nunca se sentiu como uma pessoa normal. Nunca foi como as outras meninas de sua idade. O motivo: ela não podia tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar. Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta com um simples toque, o que a levou a ser presa numa cela. Todo dia era escuro e igual para Juliette até a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora. Adam ia atualizando-a de tudo. Juliette não entendeu bem o que estava acontecendo quando foi retirada daquela cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos
"Estilhaça-me" é um romance fantástico, que intriga, angustia e prende o leitor até a última página com uma história surreal que mistura amor, medo, aventura e mistério e traz um desfecho surpreendente. (Sinopse retirada do site da editora)

Quando Estilhaça-me chegou para mim, eu estava no começo de uma leitura – do livro Cruzando o Caminho do Sol – mas, de uma forma inexplicável não conseguia tirar da cabeça a vontade enorme de dar início a esta estória que há tanto quero ler. Não gosto de parar minhas leituras no meio e por isso fiquei um pouco receosa em começar a ler um livro quando ainda não tinha nem mesmo chegado à metade de outro. Mas, meu lado racional acabou perdendo para a vontade alucinante que se instalou em meu peito assim que toquei pela primeira vez este livro tão bonito.
A primeira coisa que me chamou a atenção foi essa capa absurdamente linda, sei que foi mantida a original e isso me agradou, pois, não acredito que outra capa se encaixaria tão perfeitamente no enredo. Além da capa, o kit que acompanha o livro não poderia ser mais perfeito a bolsa plástica me conquistou – minha mãe queria roubá-la de mim vocês acreditam? – e não pude deixar de iniciar a leitura o mais rápido possível.
Agora já chega de falar tanto sobre coisas que não tem nada a ver, vamos enfim a estória do livro. Confesso que fiquei com um pouco de medo, pois, minhas expectativas estavam altíssimas e ultimamente tenho me decepcionado muito com livros que antes acreditava serem ótimos. Mas, felizmente não me decepcionei pelo contrário Tahereh conseguiu me envolver completamente em sua estória, consegui sentir uma empatia muito grande por Juliette logo de cara e Adam foi uma grata surpresa.
Eu não tinha muita ideia do que iria encontrar neste livro, embora, tivesse lido a sinopse. Não sabia se tratar, na realidade, de uma distopia e isso me surpreendeu. O livro está bastante focado no romance, mas, também conseguimos ter uma visão sobre o que aconteceu no mundo e como o Restabelecimento pretende dominar tudo aquilo para tornar o mundo um lugar melhor – aham, claro que sim ¬¬ -.
Juliette Ferrars foi internada em um manicômio e tratada como maluca, há exatamente 264 dias ela está aprisionada. Há muito tempo que ela não toca ninguém, simplesmente porque não pode tocar coisas horríveis acontecem quando ela o faz. Tudo muda drasticamente quando ela recebe a notícia que alguém dividirá a cela com ela, o que a deixa desnorteada como poderiam deixá-la tão próxima de alguém se eles sabem do que ela é capaz? É aí que nossa estória começa.
Adam Kent é o companheiro de cela de Juliette – e mais tarde algo mais – ele é o cara que toda garota adoraria conhecer: é forte, destemido e lindo de morrer. Mas, Juliette se sente assustada porque ela sente que já o conhece de algum lugar.
Depois de todos esses acontecimentos muitas coisas mudam e confesso que fiquei surpresa com a maioria delas. Somos apresentados ao super vilão da trama Warner, que é o cara mais insuportável que já vi. Acredito que ele esteja efetivamente apaixonado pelo que ele e Juliette poderiam ter, mas, só consigo acreditar que ele tem sérios problemas mentais, pois não consigo imaginar alguém tão desequilibrado.
Acho que o que mais me apaixonou neste livro foi a escrita de Mafi, fiquei fascinada por sua forma poética de descrever todos os acontecimentos. Podemos sentir tudo o que Juliette sente porque a autora nos proporciona isso através de sua escrita, e suas metáforas me fizeram sonhar acordada. Algo que me chamou bastante a atenção foram as repetições de diversas palavras ou palavras que foram riscadas, vi que muita gente não gostou deste toque, mas isso me divertiu bastante. E também me fez compreender ainda mais o modo como a protagonista estava se sentindo, ou seja, em constante contradição e sem ter nenhuma certeza se na realidade ela não estava maluca. Outra coisa curiosa na escrita da autora é como ele sempre encontrava uma maneira de inserir o verbo estilhaçar e seus derivados durante o livro, o que me agradou muitíssimo, pois sempre me remetia ao título.
A estória é escrita em primeira pessoa através da perspectiva de Juliette. A revisão da novo conceito foi muito boa, pois, não achei um errinho sequer durante todo o livro. A diagramação conta com uns detalhes no início de cada capítulo, como se eles estivessem realmente estilhaçando- se.
Eu me senti extremamente envolvida durante todo o livro, e mal conseguia largá-lo. Embora eu o tenha achado muito bom, acredito que haja margem para melhorar. Afinal, foi apenas o início de uma estória e como se trata de uma trilogia, acredito que a autora vá explorar mais os aspectos distópicos da estória. Em relação ao casal principal só posso dizer que adorei e que suspirei a cada palavra dita entre os dois, Adam é com certeza o cara perfeito e o modo como todo o relacionamento deles aconteceu foi simplesmente perfeito.
Vi que muita gente comparou este livro a X-Men e não posso negar que hajam muitas semelhanças principalmente no final, mas acredito – e espero – que todas as semelhanças parem por aí, pois, eu adoraria ver esta estória tomando rumos totalmente inesperados e nos surpreendendo a cada página virada.
Infelizmente o próximo livro da trilogia só será lançado no próximo ano nos Estados Unidos, e estou muito ansiosa para iniciar a leitura é uma pena ter que esperar tanto. Sei que não costumo fazer isso, porque sou péssima em lembrar as páginas, mas quero deixar aqui um quote que me encantou como nenhum outro espero que vocês apreciem tanto quanto eu. Desculpem-me pela resenha gigante, mas não pude deixar de abordar todos os aspectos desta obra tão única que me conquistou de uma maneira igualmente única.
“– Ei. – Sua voz é suave tão suave tão suave.Seus braços são mais fortes que todos os ossos de meu corpo. Ele puxa minha figura enfaixada para perto de seu peito e eu estilhaço. Dois três quatro mil estilhaços de sentimento perfuram-me o coração, derretem-se em gotas de mel quente suavizam as cicatrizes de minha alma. O cobertor é a única barreira entre nós, e ele me puxa para mais perto, mais firme, mais forte, até que escuto as batidas a sussurrar-lhe profundas dentro do peito, e o aço de seus braços ao redor de meu corpo desfaz todos os nós de tensão em meus membros. Seu calor derrete os pingentes de gelo que me sustentam de dentro para fora e eu descongelo, descongelo, descongelo, meus olhos tremulando rápido até que caem fechados, até que lágrimas silenciosas estejam jorrando-me rosto abaixo e eu tenha decidido que a única que quero é congelar seu corpo segurando o meu.” (Pág. 38).
Beijos
Danzinha
9

9 comentários:

Fernanda Falleiro disse...

Oi Dan,
Eu adoro X man então a chance de gostar desse é grande rsrsr Também nunca li uma resenha que falasse mal desse livro. Bjos

Promoção no bloguinho:
http://enquantoescrevoumlivro.blogspot.com.br/

Sora Seishin disse...

Oi Danzinha!
Eu já tenho o meu livro em casa, só preciso ler.
Achei legal esses detalhes na escrita que você comentou, das palavras riscadas e das palavras ligadas a "estilhaça".
E sempre tem alguém querendo dominar o mundo né??
Preciso ler o livro logo!

Beijos,
Sora - Meu Jardim de Livros

Millena Bezerra disse...

Este livro tá aqui e ninguém me convenceu a fazê-lo ser adiantado na fiila. Estou amando Cruzando o caminho do sol.
Fiquei com preconceito porque ele agradou todo mundo (alguém consegue entender?).

www.amorporclassico.com

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Danzinha! Estou ansiosa para ler Estilhaça-me! Beijos!

Aione Simões disse...

Oi Dan!
Também morro de medo de me decepcionar quando espero demais de um livro, e é ótimo quando ele nos surpreende.
Estou curiosa sobre a escrita da autora, estão falando muito bem dela!
Beijão!

Wanessa Guimarães disse...

Olá,
Parabéns pelo blog! Estou seguindo.
Segue lá também..

http://www.estanteseletiva.com/

Priscilla Duhau disse...

Estou vendo taaantas resenhas positivas de Estilhaça-me aí pela blogosfera literária que isso só anda aumentando minha expectativa para com esse livro. O que, como você disse, pode ser prejudicial começar uma leitura esperando tanto dela.
Os diálogos e a narrativa desse livro me parecem ser bem diferentes, onde a Mafi tem todo um jeito próprio de escrever. No todo é uma história bem criativa, apesar da semelhança com X-Men que as pessoas andam comentando. Mas como nunca me liguei nessas histórias de super-heróis, mutantes e etc (nunca assisti nenhum filme dos X-Men), acho que isso não vá me incomodar.
Adorei sua resenha! Fiquei mega curiosa aqui.

Beijão ♥
Priscilla Duhau
Livrificando

Aymée Meira disse...

Me encantei bastante com o livro, mal vejo a hora de ler o segundo :( pena que está tão distante, vou ficar ansiosa até que chegue em minhas mãos.
beijos

Amy - Macchiato

Karlinha disse...

Todo mundo está falando muito bem sobre esse livro e não vejo a hora de lê-lo. Espero terminar logo todos os livros da faculdade( ou melhor o semestre todo kk) e correr para lê-lo. Quem sabe não leio antes? Amei seu post flor!
Karlinha
www.coffieandmovies.com.br
Não deixe de visitar!

Postar um comentário

Obrigada pela visita, o mais rápido possível estaremos retribuindo.

Subscribe